FANDOM


O Lago das Sanguessugas.jpg
O Lago das Sanguessugas
Informações do livro
Série

Desventuras em Série

Autor

Lemony Snicket

Ilustrador

Brett Helquist

Tradutor

Carlos Sussekind

Editora

Companhia das Letras

Lançamento

02/10/2001

Páginas

192

ISBN

9788535901719

.

O Lago das Sanguessugas é o terceiro livro da série Desventuras em Série, escrito por Lemony Snicket.

Sinopse Editar

O terceiro livro começa com os órfãos Baudelaire, Violet, Klaus e Sunny sentados no Cais de Dâmocles à beira do Lago Lacrimoso, onde haviam acabado de chegar de barca. Sr. Poe, o banqueiro, arranja um táxi para conduzir os três irmãos ao topo de uma colina muito alta, onde aguarda a sua nova casa. Quando o taxista pára no morro, eles encontram-se em uma perigosa casa à beira de um precipício, suportada apenas por vigas de madeira.

Dentro, eles encontram a sua nova tutora que estava esperando por eles, Josephine Anwhistle, que prefere ser chamada de tia Josephine. Ela é uma mulher tímida e de um tipo muito peculiar que tem medo de praticamente tudo o que pode haver. Dentro da casa de tia Josephine há uma grande biblioteca preenchida apenas com livros de gramática, seu assunto preferido, e uma enorme janela no extremo da sala, que oferece uma vista espetacular do Lago Lacrimoso. Tia Josephine conta que era casada com Belo Anwhistle e que ele morreu devido às sanguessugas do lago, que têm a capacidade de sentir o cheiro dos alimentos em um ser humano se ele não esperou tempo suficiente antes de entrar na água.

No dia seguinte, tia Josephine diz às crianças que o Furacão Hermano está se aproximando. Ao comprar mantimentos para passar a tempestade, eles encontram o conde Olaf na mercearia, disfarçado como um marinheiro, o capitão Sham. Os três irmãos Baudelaire tentam avisar a sua mais recente tutora sobre a verdadeira identidade do capitão, mas a tia Josephine não acredita neles devido ao charme de Sham, o uso de uma perna-de-pau para esconder sua tatuagem de olho no tornozelo e de um tapa-olho para encobrir a sobrancelha.

Mais tarde naquela noite, a tia Josephine recebe um telefonema do capitão Sham, e pede para as crianças se retirarem pois o capitão queria falar com ela a sós. Depois do que parecem horas, os Baudelaire escutam um estrondo. Eles não encontram a tia Josephine mesmo procurando ela por toda a casa, mas quando vão à biblioteca, encontram um bilhete de suicídio de sua tia e veem a grande janela quebrada. O bilhete estava cheio de erros gramaticais que os irmãos sabiam que seria impossível a tia Josephine cometer, pois ela adorava a gramática. No bilhete, tia Josephine pedia desculpas pelo seu erro, e que o capitão Sham deveria ser o novo tutor dos Baudelaire. As crianças, então, concluem que o conde Olaf estava por trás de mais um de seus planos e decidem chamar o sr. Poe.

Sr. Poe informa às crianças que, gostem dele ou não, capitão Sham deverá ser seu novo tutor como última vontade e testamento de Josephine. Capitão Sham, ao ouvir a notícia do sr. Poe, se oferece para levar ele e os Baudelaire para almoçar em um restaurante local, o Palhaço Ansioso. Precisando de mais tempo para encontrar a verdade por trás da morte da tia Josephine e o bilhete estranhamente escrito, Violet decide tomar medidas drásticas e dá seus irmãos uma bala de hortelã-pimenta, as quais as crianças são terrivelmente alérgicas. Quase imediatamente, os três começam a ficar com a língua inchada e placas vermelhas na pele, fazendo com que o sr. Poe lhes permita ir de volta para casa da tia Josephine.

Ao chegar no topo da colina, os efeitos do furacão Hermano já podiam ser sentidos: a chuva e o vento forte começaram a vir. Enquanto Violet tenta dar em Sunny um banho com bicarbonato de sódio para aliviar a coceira em suas manchas vermelhas, Klaus retorna para a biblioteca para ver se ele poderia descobrir alguma coisa na carta de tia Josephine. Quando suas irmãs regressam para o seu lado, Klaus revela que a tia Josephine havia escrito o bilhete errado propositadamente para esconder a mensagem codificada "PGRUTA". Eles concluem que a tia Josephine, na verdade, não está morta, apenas se escondendo.

Após esta descoberta, no entanto, o furacão havia atingido seu pico. As crianças correm para encontrar um mapa do Lago Lacrimoso para localizar a tal gruta e resolvem olhar debaixo da cama da tia Josephine, pois ela havia dito a eles que tinha escondido seus livros a ver com o Lago Lacrimoso após ficar viúva. Depois de encontrar um atlas do lago e localizar a Gruta do P, um raio atinge uma das principais palafitas de madeira que segurava a casa de tia Josephine em cima da beira do penhasco. Após uma fuga rápida, os Baudelaire veem a casa deslizando pelo penhasco e caindo muito abaixo, no Lago Lacrimoso.

Os órfãos se apressam indo até o cais encontram a barca não funcionando devido ao furacão. Precisando atravessar o Lago Lacrimoso até a Gruta do P, as crianças decidem levar um barco à vela da casa de aluguel de veleiros do capitão Sham. Os portões estão fechados, mas os irmãos veem que um dos capangas de Olaf, a pessoa extremamente gorda e andrógina, está dentro da casa de aluguel, dormindo com as chaves na mão. Enquanto Klaus e Violet tentam bolar um plano, Sunny entra e rouba as chaves da pessoa enorme e se sai bem-sucedida. Contudo, um raio acorda o(a) gordo(a) e ele(a) pega Violet e Sunny, enquanto Klaus atrapalha-se com as chaves tentando abrir o portão. A pessoa que não parece homem nem mulher tropeça no atlas do Lago Lacrimoso e isso dá aos Baudelaire tempo suficiente para fugir e roubar um barco à vela. Eles navegam nas águas furiosas do lago até chegarem na Gruta do P, onde reencontram sua tia Josephine. Ela afirma que o conde Olaf a obrigou a escrever o bilhete, mas em vez de se matar, ela deixou a mensagem codificada e jogou um pufe pela janela para dar a aparência de que ela tinha cometido suicídio. Os Baudelaire tentam convencê-la a navegar com eles de volta à cidade para dizer ao sr. Poe tudo o que tinha acontecido, mas ela se recusa. Klaus fala que a gruta está à venda, e corretores de imóveis certamente chegarão vê-la muito em breve. Isto é suficiente para Josephine concordar, sendo seu medo irracional por corretores de imóveis maior do que o seu medo do conde Olaf.

Órfãos Baudelaire durante o Furacão Hermano.jpg

Depois de velejar até o centro do grande lago, eles infelizmente são atacados pelas sanguessugas. Tia Josephine lamenta e ressalta que ela tinha comido uma banana pouco antes de as crianças chegarem, fazendo com que as sanguessugas os atacassem devido ao cheiro de comida. As sanguessugas começam imediatamente a destruir o barco. Violet inventa um dispositivo sinalizador para tentar chamar a atenção de outro barco para resgatá-los das sanguessugas. O sinal atrai a atenção de um marinheiro sobre a água, o conde Olaf. Ele deixa que as crianças e sua tia subam a bordo do barco dele. Josephine, em seguida, pede a Olaf para lhe permitir viver e que ela irá ficar longe e deixá-lo cuidando dos Baudelaire. Quando tia Josephine corrige um erro de gramática por parte de Olaf, ele a joga na água, direto para as sanguessugas.

Quando chegam de volta às docas, o sr. Poe está quase entregando os órfãos para o capitão Sham, quando Sunny morde a falsa perna-de-pau de Sham, quebrando-a ao meio, revelando sua verdadeira perna e a tatuagem. Em seguida, Olaf tranca os portões do Cais de Dâmocles e mais uma vez escapa com o seu comparsa obeso, deixando os Baudelaire novamente à procura de alguém para cuidar deles.

Personagens Editar

Personagens introduzidos Editar

Personagens reaparecendo Editar

Carta ao leitor Editar

A carta de Lemony Snicket ao leitor, na parte de trás do livro, é a seguinte:

Caro Leitor,
Se você ainda não leu nada sobre os órfãos Baudelaire, é preciso que antes mesmo de começar a primeira frase deste livro fique sabendo o seguinte: Violet, Klaus e Sunny são legais e superinteligentes, mas a vida deles, lamento dizer, está repleta de má sorte e infelicidade. Todas as histórias sobre essas três crianças são uma tristeza e uma verdadeira desgraça, e a que você tem nas mãos talvez seja a pior de todas.
Se você não tem estômago para engolir uma história que inclui um furacão, uma invenção para sinalizar pedidos de socorro, sanguessugas famintas, caldo frio de pepinos, um horrendo vilão e uma boneca chamada Perfeita Fortuna, é provável que se desespere ao ler este livro.
Continuarei a registrar essas histórias trágicas, pois é o que sei fazer. Cabe a você, no entanto, decidir se verdadeiramente será capaz de suportar esta história de horrores.
Respeitosamente,
Assinatura.gif
Lemony Snicket

Dedicação à Beatrice Editar

Para Beatrice —
Preferiria que você estivesse viva e com saúde.

Prenúncio Editar

Imagem final Editar

Na imagem final de O Lago das Sanguessugas, o sr. Poe é visto de costas agarrando um portão de ferro fechado, vendo o conde Olaf e a pessoa enorme e andrógina fugindo, sem poder fazer nada. Ao lado de um edifício da foto, existe uma placa com um desenho de um óculos, dando uma pista da oftalmologista do próximo livro: Serraria Baixo-Astral.

Imagem final de O Lago das Sanguessugas.jpg

Carta ao editor Editar

A carta de Lemony Snicket ao editor, no final do livro, é a seguinte:

Ao Meu Amável Editor,
Escrevo-lhe da Prefeitura de Paltryville, onde convenci o prefeito a permitir que eu entrasse na sala em forma de olho que é o gabinete do dr. Orwell, a fim de aprofundar minhas investigações sobre o que aconteceu aos órfãos Baudelaire quando moravam nesta região.
Sexta-feira próxima, um jipe preto estará no canto noroeste do estacionamento do Observatório de Órion. Entre nele de qualquer maneira. No porta-luvas, encontrará minha descrição deste apavorante capítulo na vida dos Baudelaire, assim como algumas informações sobre hipnose, uma máscara cirúrgica e sessenta e oito chicletes. Também incluí a planta com o desenho da máquina de beliscar, que poderá servir de ajuda às ilustrações do sr. Helquist.
Lembre-se, o senhor é minha última esperança de que as histórias dos órfãos Baudelaire sejam finalmente contadas ao grande público.
Respeitosamente,
Assinatura.gif
Lemony Snicket

Curiosidades Editar

  • Os nomes de Josephine e Belo (em inglês, "Ike") podem referir-se ao Furacão Josephine e ao Furacão Ike.
  • O Furacão Hermano pode ser uma referência ao poeta Herman Melville.
  • O nome para o Cais de Dâmocles presumivelmente faz alusão ao lendário Dâmocles, figura grega que tinha uma espada pendurada sobre seu pescoço. Note que na primeira imagem do livro, as crianças Baudelaire são mostradas em pé no Cais de Dâmocles. No arco de entrada para o cais há uma espada pendendo sobre suas cabeças.
  • As alergias dos órfãos Baudelaire de balas de hortelã-pimenta pode ser uma referência às suas tendências para o infortúnio. Na arte vitoriana de arranjos de flores, pimenta simboliza "sorte, sentimento de calor". Assim, a sua alergia a hortelã-pimenta poderia representar a ausência de sorte e de sentimento de calor em suas vidas.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória