FANDOM


Justice Strauss.jpg
Juíza Strauss
Informações biográficas
Idade

"Uma senhora de certa idade"[1]

Nascimento

Desconhecido

Morte

Incêndio do Hotel Desenlace em O Penúltimo Perigo (possivelmente)

Alias
Informações físicas
Gênero

Feminino

Altura

Normal[2]

Peso
Cor do cabelo
Cor dos olhos

Cinza[2]

Cor da pele

Clara-Morena[2]

Afiliações
Profissão
  • Ladra de cavalos (anteriormente)[5]
  • Juíza[4]
  • Voluntária[6]
Lealdade
.

Juíza Strauss é uma juíza da Suprema Corte, vizinha do conde Olaf, e fez suas aparições na série em Mau Começo e O Penúltimo Perigo.

Desventuras em Série Editar

Antes de Mau Começo Editar

Strauss afirmou que sempre quis ser atriz desde a infância. Ela é velha o suficiente, pois contou que havia exercido atividades criminosas como ladra de cavalos durante vários anos quando tinha a idade de Esmé Squalor[5]. Após um tempo de conscientização, ela se arrependeu e começou uma carreira exercendo a lei. Ela finalmente tornou-se juíza da Suprema Corte, completamente ignorante sobre a verdadeira identidade de seus dois colegas.

Nesta época, não está claro se a Juíza Strauss é uma voluntária de C.S.C., mas dois elementos sugerem que sim: a posse de uma vasta biblioteca e o fato de que disfarces de juiz fazem parte dos costumes da organização. No entanto, o seu comportamento sugere que ela não é parte de C.S.C., como o fato de nem suspeitar dos atos vilanescos do conde Olaf.

Quaisquer parentes e familiares que a Juíza Strauss tem ou teve são de paradeiro desconhecido.

Mau Começo Editar

Juíza Strauss acenando.jpg

Juíza Strauss acenando para os Baudelaire.

A Juíza Strauss foi uma das primeiras personagens apresentadas em Mau Começo. Os irmãos Violet, Klaus e Sunny Baudelaire gostam muito dela, pois logo na primeira vez que se veem, ela permite que eles usem a biblioteca de sua casa para aprender a cozinhar macarrão ao molho puttanesca. Sua biblioteca jurídica também ajuda as crianças a descobrirem qual era o maléfico plano armado pelo conde Olaf para roubar sua fortuna. Nesta época, ela estava trabalhando em um difícil processo envolvendo uma planta venenosa e o uso ilegal de um cartão de crédito. No final do livro, Olaf a convidou para encenar na peça de teatro "O Casamento Maravilhoso", para sua grande alegria, pois sempre sonhou em ser atriz. Na peça teatral, ela desempenhou o papel de juíza e quase casou Violet com o conde, mas a mais velha dos Baudelaire conseguiu frustrar o plano de Olaf. No final do livro, Juíza Strauss se ofereceu para cuidar dos Baudelaire, mas isso não foi possível, devido às obrigações legais por parte do sr. Poe.

O Penúltimo Perigo Editar

Ela reaparece no décimo segundo livro, O Penúltimo Perigo, junto de Jerome Squalor, para investigar o caso Baudelaire e tentar levar Olaf à justiça. Seus dois companheiros da Suprema Corte tornaram-se aliados do conde, o homem com barba mas sem cabelo e a mulher com cabelo mas sem barba. No final do livro, Olaf sequestra a Juíza Strauss e ameaça machucá-la caso os Baudelaire não abram a porta que leva à lavanderia do Hotel Desenlace, fechada com o Cerramento Supravernacular Complexo. Strauss menciona também que, quando tinha a idade de Esmé Squalor, costumava roubar cavalos, mas depois percebeu que isso não era a coisa certa a fazer[5].

Juíza Strauss e mulheres de cara branca.jpg

A juíza casando Olaf e Violet, no filme. Ao fundo, as mulheres de cara branca.

Enquanto o hotel pegava fogo, Strauss tentou impedir a fuga de Olaf e dos Baudelaire em um barco, mas Sunny mordeu sua mão e eles acabaram escapando. Não se sabe se ela sobreviveu ao incêndio, e Lemony Snicket afirma que as crianças nunca mais a viram.

É possível que o Colóquio Secreto Criostático encontrado n'O Escorregador de Gelo era dirigido à Juíza Strauss. Quando o capitão Andarré, no livro A Gruta Gorgônea, conta aos Baudelaire sobre Jacques Snicket e como ele provou que o incêndio nos Jardins Reais foi criminoso,
Juíza Strauss videogame.jpg

A juíza no jogo para videogame.

eles contam ao capitão que haviam encontrado uma mensagem dirigida à Jacques, na sede de C.S.C. Andarré nega que a mensagem seria para ele, porque ele está morto. Em resposta, Sunny diz "Odartsigam!" que significava "As iniciais eram J.S." Se inverter as letras da palavra dita por Sunny, encontra-se a palavra "magistrado", que designa um "funcionário ou oficial civil investido de autoridade jurisdicional (membros dos tribunais e das cortes etc.), administrativa ou política"[7]. Assim, o autor pode ter tentado dizer aos leitores que J.S. quer dizer realmente Juíza Strauss.

Aparência e personalidade Editar

Diante da entrada da casa, com uma das mãos segurando a reluzente maçaneta de metal da porta, uma senhora de certa idade, elegantemente vestida, sorria para os Baudelaire. Na outra mão tinha um vaso de flores.

— Descrição[fonte]

Juíza Strauss.jpg

Juíza Strauss no filme, interpretada por Catherine O'Hara.

A Juíza Strauss é descrita como uma senhora extremamente simpática e amigável. Ela é a primeira das poucas pessoas que mostraram-se carinhosas e preocupadas para com os irmãos Baudelaire. Pelas imagens dos livros, podemos ver que ela tem o cabelo grisalho, mas, no filme, ela tem o cabelo preto, e só aparece com o cabelo branco quando usa uma peruca de juiz. Em Mau Começo, os irmãos Baudelaire confundiram-se, achando que ela morava com o conde Olaf. A juíza ainda os ajudou bastante neste livro, inclusive, ajudando-os a aprender a preparar uma receita.

A personalidade perfeccionista da juíza reflete-se enormemente nas suas vestimentas e na sua casa. Sua casa é descrita como a mais linda e organizada do quarteirão, com um jardim bonito cheio de plantas bem tratadas.

Além do seu trabalho, a jardinagem é o seu único passatempo. Strauss também odeia ler livros jurídicos, apesar de isso ser necessário em sua profissão. Ela não tem quaisquer suspeitas acerca dos atos traiçoeiros exercidos pelo homem que vive a poucos passos de sua residência.

Quando a Juíza Strauss reaparece em O Penúltimo Perigo, ela se mostra muito arrependida e diz que nunca iria se perdoar por ter deixado o sr. Poe afastar os Baudelaire dela.

Filme Editar

Desventuras em Série (filme) Editar

Juíza Strauss russa.jpg

Juíza Strauss em O Penúltimo Perigo, ilustrada na edição russa do livro.

No filme Desventuras em Série, Strauss foi interpretada pela atriz Catherine O'Hara.

Curiosidades Editar

  • A Juíza Strauss foi a oitava personagem a ser vista primeiramente na série, sendo os sete primeiros: Violet, Klaus, Sunny, sr. Poe, Polly Poe, e Edgar e Alberto Poe.
  • Na edição francesa dos livros, o nome da Juíza Strauss foi alterado para Judith Sybil Abbott[8].
  • No início do primeiro livro, a Juíza Strauss diz que estava trabalhando em um Caso da Suprema Corte, que envolvia uma planta venenosa e o uso ilegal de um catão de crédito. Quem sabe tenha alguma relação com C.S.C

Aparições Editar

Wiki.png
A Desventuras em Série Wiki possui 10 imagens relacionadas a Juíza Strauss.

Referências Editar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória